Viemos para estas urnas diferentes do que fomos às últimas e certamente mais preparados na jornada democrática das nossas vidas. Pensem em caminhos comuns obviamente necessários antes de pensarmos em diferenças ideológicas que ficam lindas em bancos de universidades, mas não sobrevivem ao mundo real que paga suas contas com o suado ganho de cada um…

Futuro – do jeito que nossa previdência pública anda, se quisermos ser honestos, sem creditar responsabilidades ou defender posições bonitas para ganhar votos, o dinheiro acaba antes da próxima geração chegar perto dele.

Como resolveremos esta equação depende de quão maduro formos em colocar propostas e acharmos um caminho possível, com ganhos e perdas e poucos danos.

É este é apenas um dos muitos desafios à frente…

2019 vai chegar como quem renova as forças num banho de cachoeira gelado numa manhã de um inverno seco. Arde, quase queima, mas faz nossa circulação retornar à velocidade da adrenalina que a impulsiona.

A adrenalina será fundamental para elevarmos nossa atenção, de fato, ao que nos permitirá deixar de herança um país melhor do que aquele que recebemos.

Depois da eleição brasileira, a realidade será vermelha… Terra arrasada! Muito por fazer em qualquer direção que olhemos e o quão distante alcancemos.

Quase perdemos uma geração inteira discutindo coisas inúteis e prioridades politicamente corretas, que esquecemos de cobrar o básico. Aquele óbvio que ficou adormecido e abandonado por tanto tempo.

Então fica uma recomendação, livre de emoção e contundente, não há caminhos fáceis, muito menos unanimidade nas escolhas, resta-nos muito trabalho, discussões e debates, e ações práticas para acharmos o nosso caminho. Depois de desvendado o caminho, sigamos aumentando a velocidade. Veja que não adianta acelerar se estivermos indo para o lugar errado. Estas escolhas nos trouxeram até aqui!

Sejamos práticos e coerentes, o mundo mudou pra caramba desde o Cometa Halley ter passado por aqui. Não há vencedores e derrotados, há apenas nós e nossos filhos…

E um baita trabalho pela frente.

*    *   *

2 comentários sobre “003 – Das premissas de 2019

  1. Demetrio disse:

    E vamos esquecer verbos como: tratorar, prensar, extirpar, extinguir, matar, torturar e aniquilar usualmente conjugados em discursos de ódio. Não precisamos disso!

    Curtir

  2. Yara Marques Almeida disse:

    Caiu de moda o discurso político. O que precisa virar moda é a vontade e verdade em fazer as coisas a começar pelo respeito a si ao próximo, a fazer o bem, optar pelos caminhos corretos. Como ser humano e cidadão que quase todos somos, cumprir nossos deveres e obrigações básicas sem a necessidade de 1 boleto de cobrança, usar as filas que lhe são direito, agradecer a quem te atende, elogiar a quem merece, ser gentil por prazer, ser gente.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: