Embora muitas das nossas escolhas no dia-a-dia nada tenham a ver com o primeiro pilar apresentado, os espaços para conversas que são criados nesse momento inicial é que são os maiores fatores identificadores de insights que perduram durante todo o ciclo.

Por isso considero que a segunda ferramenta ou elemento desse pilar é a abertura de espaços para conversações (em outras palavras, a manutenção das portas sempre abertas).

O relacionamento só se consegue de fato quando a etapa da confiança for vencida. Entretanto, a construção dele se dá com o passar do tempo e com o cumprimento das promessas feitas.

Considerando que pesquisas na área acadêmica apontaram a produtividade como produto de duas variáveis: tecnologia (20%) e desempenho humano (80%); e que o desempenho humano, por sua vez, é conseguido por meio das variáveis conhecimento (30%) e motivação (70%), tem-se assim, que: o caminho ideal para atingir índices ideais de desempenho humano e, por consequência, de produtividade tem inicio, necessariamente, a partir de ações e políticas oriundas da área de Gestão de Pessoas (conhecimento e motivação) e são, portanto, pela natureza dos resultados a serem atingidos, estratégicas. (citando SUTERMEISTER, R.A. People and productivity)

O passo-a-passo para a construção do relacionamento é, por vezes, a etapa mais difícil de perceber o resultado. Não temos a visão do fim, nem tampouco conseguimos entender o quanto essa construção trará de resultados além dos já imaginados pela inércia da situação atual.

Freitas e Bowman salientam que as organizações bem-sucedidas têm nos valores compartilhados uma grandiosa fonte de força. Os empregados sentem-se motivados porque a vida organizacional tem significado para eles. Em geral, os dirigentes trabalham no sentido de fortalecer a cultura organizacional por meio da geração e manutenção de valores fortes e compartilhados, que impulsionem ações no sentido de sustentar sua missão e orientar seus elevados objetivos, metas e estratégias organizacionais.

Pode-se entender que o relacionamento envolve diversos aspectos, alguns deles internos e outos externos.

Dentre os fatores internos está o exercício de papel de coach e o desenvolvimento da carreira das equipes. É mais do que a aplicação do resultado de um assessment pura e simplesmente. É o acompanhamento de perto das ações e atividades que impactam efetivamente no amadurecimento profissional e melhoria dos resultados.

Se examinarmos de perto o que motiva as pessoas (…)vamos entender que falhas na performance humana tem sua origem nos processos por meio dos quais as pessoas são gerenciadas, não na natureza humana. A natureza humana é o que é. Gerenciando os processos, garantimos a performance. P 165 NOBREGA, Clemente – Empresas de Sucesso pessoas infelizes?

Essa preocupação deveria ocupar metade do tempo dos gestores! De tão relevante que é, embora poucos estejam efetivamente disponíveis para conversar abertamente sobre este tema. De fato, gasta-se muito esforço para individualmente buscar o melhor de cada um, mas considero esse insight profundamente importante para a obtenção das chamadas equipes de alta performance.

A partir desse ponto, torna-se possível posicionar os alvos mais à frente! Agora se pode subir a trave de saltos ou esticar a corda.

*   *   *

Um comentário sobre “025 – Segundo Pilar: O Relacionamento

  1. Pimpão disse:

    Demais!! Cada dia melhor!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: