um brinde

084 – Amenidades e outras coisas amenas

Tenho alguns bons vícios, se é que podemos chamar vício de coisas boas, mas quando são inofensivos, eles ajudam a definir quem somos. Até quando eles não são inofensivos, eles nos ajudam a definir quem somos, mas talvez não gostemos desta definição.
#blogdobubsi

Anúncios
Nenhum comentário

Tenho alguns bons vícios, amenos, se é que podemos chamar vícios de coisas boas, mas quando são inofensivos, eles ajudam a definir quem somos. Até quando eles não são inofensivos, eles nos ajudam a definir quem somos, mas talvez não gostemos desta definição.

Ainda sim, entre amenidades e outras coisas amenas, gosto bem além do razoável de uma certa marca de refrigerantes, de um tipo de achocolatado, embora tenham quase destruído meu gosto com esta tal versão 2.0.

Se agora pudéssemos parar um pouco para refletir quais vícios temos no trabalho que consideramos inofensivos, mas como todo vício traz na sua essência um resto de um dano invisível, que pode comprometer um pedaço do nosso futuro.

Assim com os refrigerantes trazem mais açúcar e porcarias juntas, que fazem qualquer pessoa sensata manter distância, também atraí aos que buscam prazer rápido, dose extra de energia, aliada a um sabor maravilhosamente distribuído e acrescentado de pedras provocantes de gelo, levando a sua alegria ao máximo… não é à toa que nosso tin tin, para os chineses é mais que uma onomatopeia, eles brindam “chin chin”, que o Google alega ser muita felicidade!

O que nos traz muita felicidade, mas nas relações de trabalho podem ser vícios destrutivos?

Desde evitar relacionamentos com pessoas, por não termos simpatia, até tomarmos caminhos mais longos para resolver um problema para não precisar de determinada área… São alguns exemplos em que nos viciamos em gastar tempo além do necessário.

E o desperdício de tempo é um dos maiores vilões da vida empresarial. As razões são comumente atribuídas à falta de maturidade, de conhecimento, e tratadas com paliativos ou horas-extras.

Quando identificamos que existem vícios corporativos, o trato tem que ser igual a desintoxicação ou abstinência, ou então enfrentaremos a conta mais à frente. E garanto que ela chega, lenta, pesada e elevada.

*   *   *

Não deixe de ler também:

037 – Sobre fins e recomeços.

081 – Andando em círculos

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">