sapatos diferentes

095 – A lei da atração e os fora-da-lei

Não me considero um fora-da-lei. Como em qualquer dia, as primeiras reflexões que me surgem são motivadas pelo que deixei sendo processado na cabeça durante a noite. #blogdobubsi

Anúncios
Nenhum comentário

Não me considero um fora-da-lei! Como em qualquer dia, as primeiras reflexões que me surgem são motivadas pelo que deixei sendo processado na cabeça durante a noite.

Às vezes o insight vem já com o despertar, comprovando nossa capacidade de resolver questões simples e outras nem tanto, sem que haja um envolvimento direto. E melhor, deixando o sono recuperar nossa capacidade de agir conforme a solução que viria a se propor.

Mas nem sempre é assim: acho que quando ocupamos o nosso processador com questões que nos deixam muito ansiosos, não sobra espaço para a nossa máquina resolver as demais questões existenciais, ou não.

A física explica

A natureza costuma nos dar lições simples de como as leis são cumpridas e há sempre uma consequência por uma ação realizada. Há leis para tudo, mas a natureza já estava equilibrada bem antes de entendermos algumas dessas leis.

Os opostos se atraem, distraem, completam ou repelem? A física explica o magnetismo existente na pergunta, mas as relações humanas e profissionais têm outra explicação. Muito mais complexa, mas também necessária.

Nem todas as questões humanas são respondidas de forma tão simples, muito menos seguindo uma lei. Há que se convir que buscamos para amigos pessoas com um grau importante de afinidades, buscamos como parceiros, pessoas que além de ter afinidades, completam ou são a projeção de alguns de nossos desejos e naturalmente afastamos quem não faz parte destes dois grupos.

Assim também será no trabalho. Buscamos vozes que ecoam, buscamos quem concorde com a cabeça, quem reforça nossas ideias e nos apóia em todas as circunstâncias.

Fique aqui um alerta registrado: a discordância sem viés ideológico, fundamentada na razão e no pensamento, além de nos manter alertas, traz a maravilhosa oportunidade de pensar de um jeito diferente.

Não estou falando que é fácil incorporar na rotina o convencimento das vozes distoantes, mas garanto que o aprendizado e o resultado serão inúmeras vezes superiores.

Fim das redes sociais como conhecemos hoje

Façamos uma pequena experiência, sem nenhum viés científico. Pesquise rapidamente nas suas redes sociais (uma ou todas) e identifique aqueles assuntos, pessoas, fotos, notícias ou quaisquer outra postagem que você tenha se agradado nos últimos dias.

Nossos interesses é que nos motivam, nossos objetivos é que nos direcionam e nosso desejo de conhecimento é que nos complementam. Quando misturamos tudo isto em algum lugar é que seremos atraídos. Pela lei ou fora dela!

Por isso que digo e acredito que as redes sociais tais quais existem até hoje vão morrer, ou já estão morrendo. De fato o que buscamos são assuntos, conversas, temas, paixões que nos interessam e isto vai valer a nossa atenção.

E a nossa atenção vai se transformar em alguma ação, e esta ação é que será a moeda do futuro.

Escolha bem quem está roubando sua atenção. Ela vale ouro!

* * *

Para ler mais:

044 – Do desejo à academia

029 – Terceiro Pilar: os compromissos

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">