princesa beijando o sapo

104 – Basta de engolir sapos! É melhor beijá-los

Nenhum comentário

Engolindo sapos! Esta expressão já foi usada milhares de vezes, sempre que temos que suportar algo que não é agradável. Pode ser uma bronca que levamos, podemos estar sendo cobrados injustamente por algo.

Pode ser o tom de voz do interlocutor, a forma ríspida com que somos abordados, às vezes as condições de trabalho não favorecem, o salário, o clima entre a equipe, às vezes é tudo isto junto!

Então, quando o sangue ferve e o coração deseja responder na altura da provocação recebida, mas sua educação, sua empregabilidade e o medo do confronto te impedem de atender o anseio, beije o sapo! Eu explico.

Beijando o sapo

E se tudo der errado, faça igual a princesa, que ao invés de engolir o sapo, beijou-o, ele virou príncipe e viveram felizes para sempre…

Sem o conto de fadas e ainda antes do final feliz, é necessário estarmos preparados para o inevitável encontro com o pequeno anfíbio da Ordem Anura.

Mais dia, menos dia, teremos que encarar os sapos pela nossa frente, então vai o guia, politicamente incorreto, de abordagem do sapo.

1 – Quando a provocação vem por escrito, naqueles e-mails bomba que recebemos, a dica é fácil, respire, respire, escreva a resposta e não envie. Espere até o dia seguinte pra enviá-la. Uma noite de sono tem um efeito que abranda o ímpeto e nos torna mais práticos e objetivos.

2 – Quando ela é feita somente com você na sala, não abaixe a cabeça, assim que o portador do sapo parar de falar, não responda nada além de um simples olhar sério e incisivo, o silêncio é o compromisso de uma nova entrega superior. Concentre sua energia em fazer muito além do que foi pedido.

3 – Agora quando ela é feita na frente de muitos observadores, entre com seus argumentos de forma clara e objetiva, e saia antes do assunto ter tréplica… Deixe o sapo na mão do infeliz, que vai ter que, além de entender que fez um papel de idiota, pedir desculpas ou ficar no papel de vilão com o time. Se o mal educado tem razão no que está fazendo, mas não tem razão no “como”, ele ainda sairá com sorriso amarelo.

Lá em no livro de Provérbios acho a melhor explicação pra fazer nestes casos: A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.

Sapos grandes

O problema é que normalmente os sapos vêm de gente que está hierarquicamente em posições acima da nossa, e nosso antídoto pode parecer ineficiente. Mas garanto que você ganha pontos com o agressor, tem seu espaço demarcado e também será considerado pelo time, o único com coragem para enfrentar o meliante.

Nada disso vai mudar a maneira com que ele se portará com os outros, mas garanto que ele entenderá o limite que você deu e respeitará as suas fronteiras criadas.

* * *

Para ler mais:

088 – Telepatia e outras patologias corporativas

091 – Os jovens e algumas frustrações corporativas

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">