Senge (1990) afirma que poucas são as empresas que conseguem sobreviver até a idade média de uma pessoa, visto que na maioria das empresas que “desaparecem”, há muitos indícios prévios de problemas que são comumente ignorados em virtude de uma deficiência de aprendizagem.